Arrependo-me de não ter escrito sobre “Nanette” quando vi pela primeira vez. Mas não vou certamente deixar passar a oportunidade agora. Escrevo-vos ainda com as lágrimas a secar nas bochechas…