Antes que comecem a refilar: eu sei que “The Edge of Seventeen” já é de 2016!

Ok, agora que ultrapassámos essa barreira… se não viram, vejam. É muito bom.

Eu ainda não o tinha visto e tropecei nele por acaso. Um feliz acaso por sinal.

“The Edge of Seventeen” ou “No limiar dos 18” em português, é um daqueles filmes clássicos em que assistimos à passagem de alguém da adolescência para a idade adulta.

É cómico, é dramático, é dark, é light. É tudo de bom.

Vamos a detalhes deste “The Edge of Seventeen” 🙂

Hailee Steinfeld é Nadine Franklin, uma miúda do 11º ano que está de mal com a vida. O mundo parece estar contra ela.

O irmão de Nadine é, ao contrário dela, super popular na escola, a mãe (a incrível Kyra Sedgwick) é daquelas insuportáveis de aturar, o pai é o mais tolerável, a melhor amiga passa de repente a ser o seu ódio de estimação e o único adulto em quem ela confia é um professor da escola interpretado por Woody Harrelson.

Eu conhecia mal o trabalho de Haille Steinfeld como atriz e confesso-me muito surpreendida.

Hailee Steinfel acumula nomeações… aos 21 anos.

Já a tinha visto em “Pitch Perfect” e em “True Grit”, que lhe valeu uma nomeação para o Oscar de Melhor Actriz Secundária, mas nunca a tinha visto neste registo meio “drama-comédia-adolescente-em-crise”. E que bem que ela se sai.

Sai-se tão bem que este papel lhe valeu uma nomeação para o Golden Globe de Melhor Actriz Secundária num Filme Musical ou Comédia.

Todos nós já passámos por algumas destas coisas de certeza!

O filme vê-se muito bem, o elenco é de luxo, a história relatable e com vários momentos que nos fazem pensar “ttxxxiii é mesmo isto”.

Fiquei com saudades dos meus tempos de liceu e de viver aqueles dramas que agora olhando para trás são pequenos mas que na altura eram o desabar do meu mundo.

Ela representa, canta, e pelos vistos encanta.

Esta é uma mulher que não se fica por um só ofício.

Hailee Steinfeld vem a Portugal no dia 30 de Junho e actua no Rock in Rio Lisboa pela primeira vez, apresentar ao público português a sua música.

Gosto de um ou dois temas mas nunca a segui de perto mas depois deste filme fiquei com vontade de a ver em palco e de tentar uma entrevista com ela nem que seja para lhe dar os parabéns pela sua performance neste filme.

Conta com uma legião de fãs que prometem estar na primeira fila no Parque da Bela Vista a entoar os seus temas e um deles será certamente “Capital Letters” que integra a banda sonora da trilogia “Fifty Shades of Grey”.

Gosto quando me surpreendem e isso aconteceu com esta interpretação. Acho que se confiarem em mim também vão gostar! 😉

Fiquei com vontade de ver esta miúda crescer (como assim tem 21 anos e já foi nomeada para um Oscar e um Golden Globe?!) e de seguir mais de perto o seu percurso e os seus próximos filmes.

Se não tiverem nada para ver no Domingo à tarde, apostem neste filme, acho mesmo que vão gostar.

A vossa girl deixa-vos aqui o trailer, checkem!

Peace out, kidz!

MBM